REMIX POP: PIPILOTTI RIST & RYAN TRECARTIN

Este programa une obras de dois artistas de gerações diferentes que têm na cultura pop fonte de inspiração e objeto de crítica: Pipilotti Rist, suiça que emergiu nos anos 80, e Ryan Trecartin, jovem artista americano nascido em 1981.
Os vídeos de Rist exploram a sexualidade feminina e a cultura mediática por meio de remixes divertidos e provocativos sobre a fantasia e o dia-a-dia. Seu engajamento crítico é marcado por uma investigação sobre o desejo na cultura pop.
As narrativas em vídeo de Ryan Trecartin se desenvolvem como sonhos delirantes futuristas. Usando familiares e amigos no elenco, ele une sofisticadas manipulações digitais com imagens tiradas da Internet e da cultura pop, animações, e performances e cenários extremamente estilizados.

 

REMIX POP: PIPILOTTI RIST & RYAN TRECARTIN // duração 38’13
27/07 // 20h-21h // SESC Belenzinho

I’M NOT THE GIRL WHO MISSES MUCH / Pipilotti Rist / Suiça / 1986 / 7’46
Uma sequência da artista mudando o titulo do filme (adaptada da música dos Beatles, Happiness is a Warm Gun) é repetida em alta e baixa velocidade, com efeitos obscuros de vídeo, borrando em uma procissão pictórica de imagens. A manipulação de Pipilotti torna sua voz uma paródia da histeria feminina, e seu corpo uma grotesca boneca dançarina. Através de uma mimese obsessiva, Pipilotti esgota qualquer possibilidade de compreensão das palavras.

(ENTLASTUNGEN) PIPILOTTIS FEHLER / Pipilotti Rist / Suiça / 1988 / 11’10 
Editado com precisão no ritmo de uma banda marcial e rock pós-punk, gloriosas absolvições em organizadas disjunções, justapondo imagens da artista caindo no chão com rajadas de distorção eletrônica. A obra reflete seu contínuo interesse em explorar os defeitos e imperfeições do suporte e aparelho de vídeo, que contém ecos de enganos psicológicos e pessoais.

PICKELPORNO / Pipilotti Rist / Suiça / 1992 / 12’02
Nesta evocação visual do sexo e da sexualidade, um homem e uma mulher apresentam uma elaborada coreografia de acasalamento, editada com a atenção habitual de Rist para a sintaxe dos meios de comunicação. Uma proposta de imagens da sexualidade, em vez de analisar os prós e os contras da pornografia.

(TOMMY-CHAT JUST E-MAILED ME.) / Ryan Trecartin / EUA / 2006 / 7’15
Totalmente auto-absorvidos, os personagens estão em constante comunicação uns com os outros pelo telefone ou online. Suas trocas de e-mails e buscas na Internet são canalizadas para brilhantes animações que se cruzam com as do “mundo real”. A história muda de pessoa para pessoa, como um navegador da web. Envolvidos com maníacas interações eletrônicas, os personagens tornam-se cada vez mais isolados.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: