22 / 07  DOM

UNIDADES SESC

A PELE DA IMAGEM // duração: 60’39
22/07 // 9h-17h // SESC Interlagos (Container em looping)

 

SESCTV

OFFICER TUBA MEETS HAPPY GHOST / soJin Chun / Canadá / 2011 / 5′
Sojin Chun combina personagens retirados de dois filmes de Hong Kong e digitalmente os rotoscopia em uma filmagem contemporânea Super 8mm filmada em São Paulo, Brasil, e Toronto, no Canadá. Retirados de seu ambiente, esses personagens são apresentados como coreanos, jogando com as percepções ocidentais de identidade asiática.

ESTRELA / Dellani Lima / Brasil / 2011 / 3′
Primeira estrela que vejo realiza o meu desejo.

DISFORME / Arthur Tuoto / Brasil / 2008 / 3′
Uma sombra questiona suas formas. Através de uma performance do artista sobre um fundo branco, o vídeo propõe uma reflexão sobre a imagem videográfica e suas deformidades. A sombra daquele que filma, ao mesmo tempo em que se questiona, afirma sua presença.

PIXEL PIXO ZZZ / Pedro Paulo Rocha / Brasil / 2011 / 3’30
Uma escrita em movimento que transforma a cidade no cyberespaço de pixel e pixo. Um poema eletrônico à deriva.

HERR BAR / Clemens Kogler / Austria / 2007 / 3’07
Um vídeo que consiste apenas em scans de partes do corpo. O conceito é questionar a linguagem comumente usada no cinema e vídeo através da substituição de todos os recursos por uma colagem de linguagem corporal.

A GEISHA BEING FILMED / André Werner / Alemanha / 1993 / 2’50
“Uma gueixa está sendo filmada”: esse título de uma fotografia antiga retratando uma jovem gueixa deve ser recebido com ceticismo.

CEGO OLIVEIRA NO SERTÃO DO SEU OLHAR / Lucila Meirelles / Brasil / 1998 / 17′
O cego Oliveira era tocador de rabeca, de Juazeiro do Norte, Ceará. Morreu em 1997 com 94 anos. Não era cego mas portador da visão sub normal. Ao registrar o mundo lhe ocorriam alterações oculares que produziam interferências em sua maneira de ver. Outra visão de mundo.

EMPTINESS / Anders Weberg / Suécia / 2011 / 3’
Um sentimento de tédio generalizado, alienação social e apatia.

WINNIPEG STORIES: SACRIFICIAL MEMORIES / Clint Enns / Canadá / 2008 / 4’38
Um filme experimental feito de filmagens descartadas encontradas em brechós e mercados de pulgas em Winnipeg, Manitoba. A música é ‘Eu Un Miroir, Obscurement’ por Natural Snow Buildings.

SPACE DUST / Sávio Leite / Brasil / 2001 / 2’26
Uma imensidão intima. Vídeo integrante do projeto Nessa Rua tem um rio – Instituto Undió de intervenções artísticas urbanas.

ROSES / Rachel Rosalen / Suiça/Brasil / 2007 / 7’16
Roses é um vídeo baseado no poema de Edmond Jabés chamado “água” (Le seuil le sable, p. 382- 384). A cerimônia do chá é uma tradicional arte japonesa – a do caminho do chá (em japonês sadô, chadô ou chanoyu. Tradicionalmente, nessas cerimônias quem recebe o chá, gira o chawan em círculos para a direita e para a esquerda antes de bebê-lo ou de passar para frente. Nesse vídeo, a artista se utiliza desse movimento circular para falar de vazio e abundância.

CENTIPEDE SUN / Mihai Grecu / França / 2010 / 10’30
Uma fuga visual e sonora das paisagens do estuário. Ao longo da água, imagens formam novamente alguns fundos novos, entre trabalho gráfico e quadros de movimento. Este filme é parte de uma instalação de vídeo criado e exposto em Rochefort, em Maio de 2009. As imagens foram filmadas no estuário Charente.

NEWLY RISEN DECAY / Giada Ghiringhelli / Grã-Bretanha/Suiça / 2011 / 8′
‘Decadência recém-ressuscitada’. No fluxo incessante estou, condenada a desmoronar. Eu não sou forma alguma. Nenhuma carne. Nenhuma coisa. E então o que resta? Tudo se move e nada permanece.
E 3 / Robert Seidel / Alemanha / 2001 / 3′
Este vídeo foi feito por desenhos com tinta sobre papel, colocando os resultados em um computador.

MANIPULER SON CORPS / Laetitia Bourget, Anne Lore Guillemaud Hymne / França / 1997 / 4′
‘Manipuler son corps’ é uma canção de louvor ao ambíguo corpo feminino. A repetitiva música eletrônica de Anne-Lore Guillemaud acompanha este vídeo coreográfico. Em frente à lentidão e imobilidade, temos a impressão de assistir a um fantoche sendo manipulado.

Anúncios